quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Vivaldi, Bach e Haendel




Dentro da História da Música três compositores renomados que foram contemporâneos do período do barroco: Vivaldi, Bach e Haendel. No entanto, mesmo sendo do mesmo período, são compositores que diferem, e muito, em seu estilo musical.

O italiano Antonio Vivaldi viveu entre os anos de 1678 e 1741. Filho de um violinista, estudou, ao mesmo tempo, para ser músico e padre. Ordenado presbítero em 1703, teve que se afastar do serviço religioso, por conta de uma doença. Voltando-se exclusivamente para a música, Vivaldi foi maestro, compositor, professor e diretor musical da Pio Ospedalle della Pietà, em Veneza. Autor de uma obra extensa, Vivaldi compôs 90 sonatas para solistas e para trio, 49 óperas e cantatas, motetos e oratórios. Dentre seus principais legados estão: os temas concisos, a clareza formal, a vitalidade rítmica e a continuidade lógica no fluxo das ideias.

O alemão Johan Sebastian Bach,viveu entre os anos de 1685 e 1750. Vindo de uma família musical tradicional, Bach iniciou seus estudos musicais com o próprio pai e, posteriormente, com o irmão mais velho. Estudou copiando e escrevendo arranjos de muitos outros compositores, o que lhe proporcionou um aprendizado de todos os estilos da época. Sua obra é extensa, incluindo todos os estilos da época, não compondo apenas ópera. Os historiadores apresentam cinco fatores para sua evolução musical: a tradição familiar; o método de assimilação dos mais diversos estilos musicais de sua época; o mecenato (quer o mecenas fosse um indivíduo, a Igreja ou um município); a concepção religiosa de arte (Bach era pertencente a tradição luterana; o elemento pessoal inexplicável: a genialidade.

O alemão Georg Friedrich Haendel, viveu entre os ano de 1685 a 1759). Apesar de ter nascido na Alemanha, Haendel percorreu a França, a Itália e a Ingleterra, onde se estabeleceu e veio a falecer com o título de cidadão inglês; sendo que na Inglaterra, até os dias de hoje, Haendel é conhecido como um compositor inglês. Por ter passado por diversos países, conhecido diversos compositores, Haendel assimilou o que cada um tinha de melhor em sua música: a suavidade italiana, a imponência francesa, a seriedade alemã e o melhor da tradição coral inglesa.

Interessante desses três compositores é que ambos estavam ligados, direta ou indiretamente a religião. Mostra de que a arte é benquista pelas igrejas, já que a própria Bíblia diz: "com arte sustentai a louvação". Que esses três nomes sagrados da história da música inspire-nos a sempre levantarmos nossos louvores com arte, muita arte!!
Assim seja.

PAZ e BEM!!

2 comentários: